Comissão de Equidade

Acontece na Feusp

 

A Comissão de Equidade apoia a iniciativa e convida todas as pessoas a participarem das ações do 08 de março de 2020.

Nesta última semana de novembro de 2019, a Comissão de Equidade da Feusp realiza a última rodada de atividades. Convidamos todas as pessoas a participarem das atividades do III Encontro de Educação para as Relações Étnico-Raciais (Erer). Confira a programação:

A Comissão de Equidade da Feusp continua envolvida na luta antirracista e realiza, ao longo desta semana, a distribuição de material sobre condições de vida de pessoas negras e brancas no Brasil.

Sistematização da informações: Biancha Angelucci e Jonathan Moreira dos Santos.

A Comissão de Equidade da Feusp assume seu lugar na luta antirracista e realiza um conjunto de ações, dentre estas, a produção dos dados sobre: Como se autodeclara, no quesito raça/cor, a comunidade Feusp?A exposição deste material também pode ser visitada no saguão do bloco B, primeiro andar.
Atentamente,
Comissão de Equidade

Questões Étnico-Raciais na Feusp

A obra icônica “Onde estão os(as) negros(as)” do Coletivo Frente 3 de Fevereiro nos leva a refletir sobre a presença da população negra na esfera pública nacional. Fato é que essas pessoas estão aqui! Sempre estiveram. Entretanto, seus corpos, falas, expressões socioculturais, epistemológicas e religiosas são sistematicamente invisibilizados e/ou depreciados. É graças a agência de milhares de negras e negros que, historicamente, estes sujeitos mais do que resistirem a todas as formas de violência e discriminação têm atuado continuamente na constituição da sociedade brasileira. O mês da Consciência Negra, fruto desse movimento, serve para celebrar as vitórias alcançadas até o momento, expor os desafios ainda presentes e engajar todas as pessoas na luta contra o preconceito e a discriminação racial.

A Faculdade de Educação da USP, por meio da sua Comissão de Equidade, assume o seu lugar na luta antirracista e realiza um conjunto de ações relacionadas às questões étnico-raciais.

A instalação abre com um Baobá (Adansonia) árvore que guarda estreita relação com a cosmologia de vários povos africanos, assume aspectos sacros no contexto das religiões afro-brasileiras e sintetiza a noção de tradição. Enquanto símbolo da ancestralidade africana, nos permite compreender que os passos da população negra vêm de longe, com raízes profundas que sustentam um troco que pode chegar a 10m de diâmetro, porque juntos somos mais fortes, e uma copa com mais de 20m de altura, pois esses mesmos passos nos levam mais longe.

Texto: Rosenilton Silva de Oliveira

Ao longo do mês de novembro serão desenvolvidas as seguintes atividades:

4 a 29/11

Mostra de pesquisadores/as negros/as da Feusp

08/11 – 18h

Roda de Capoeira Arte e Ginga, com Mestre Tio João

11 a 16/11  

Como se autodeclara, no quesito raça/cor, a comunidade Feusp?

19 a 23/11

Condições de vida da população negra e da população branca no Brasil

25 a 30/11

Rodas de Conversa, intervenções e oficinas sobre negritude e branquitude

27/11 13h

Oficina de produção de redes com Bruna Amaro