Grupo de Estudos e Pesquisas: Diferenças, deficiências e desigualdades – intersecções no campo da educação.

 

O Grupo de Estudos e Pesquisas – Diferenças, deficiências e desigualdades intersecções no campo da educação, visa contribuir para a área de conhecimento, na qual se insere, na medida em que suas produções têm se debruçado em análises robustas, derivadas de suas pesquisas e projetos sobre a temática em questão, fundamentadas na perspectiva teórica dos estudos críticos da deficiência. Busca-se, ainda, promover debates e produções que apresentem a correlação das deficiências a uma produção multifacetada, marcada por tangenciamentos teóricos, sociais, políticos, culturais e econômicos que impactam na compreensão das mesmas. Assim como considerar os atravessamentos derivados das intersecções com as questões de gênero e raça. Produções, desta forma, respaldadas pelos próprios campos da ciência que tomam as deficiências como objeto de estudo e pelas políticas sociais que buscam responder às necessidades e demandas, das pessoas aí situadas, derivadas dessa própria compreensão.

As atividades do grupo, concernentes aos estudos e às pesquisas delineiam-se em duas linhas de pesquisa que congregam, basicamente, sua perspectiva teórico-metodológica.

 

Linhas de Pesquisa

  1. Direito à educação e pessoas com deficiência – complementaridades e tensões entre os princípios da igualdade e da diferença.

Esta linha tem como premissa que a educação encontra-se expressa como um dos direitos fundamentais, no bojo dos direitos humanos, sendo reafirmada no âmbito jurídico e legal brasileiro como um direito público e subjetivo. Tem como objetivo principal desenvolver estudos e pesquisas que analisem a interface entre esses princípios e o campo das deficiências. Dessa forma, o foco está na inter-relação entre o direito à igualdade, expresso na política educacional brasileira, e o direito à diferença.

Os objetivos específicos derivam, portanto, do leque e das múltiplas faces sobre as quais se assentam o desenvolvimento e a implementação da educação escolar brasileira, em suas diferentes etapas e modalidades, entre eles:

(i) a estruturação administrativa das redes públicas de ensino: o espaço arquitetônico, os profissionais da educação e perfis de formação, a estruturação didática das etapas de ensino e modalidades, a proposição curricular, a proposição de serviços de atenção direcionada às pessoas com deficiência;

(ii) a relação público e privado estabelecida por meio de convênios e financiamentos com instituições e/ou escolas específicas às pessoas com deficiências;

(iii) as trajetórias escolares estabelecidas na permanência escolar;

(iv) os processos inerentes à educação para o trabalho;

(v) análises que correlacionem a formulação de políticas universais e suas implementações aos contornos das políticas públicas e sociais de forma ampliada, compreendendo-as como, inclusive, manifestações da reforma do Estado e da ressignificação da própria conceituação dos direitos.

 

  1. Políticas sociais e pessoas com deficiência – discursos instituídos, práticas e participação social.

Esta linha de pesquisa apresenta como objetivo compreender como se tem delimitado e demarcado o campo das deficiências no interior das políticas sociais, em especial a responsividade às questões das desigualdades. Insere-se ainda, nesta linha, a relação dessa demarcação à adesão e ao papel das diretrizes ou normativas internacionais, especialmente aquelas vinculadas aos organismos internacionais ou agências de cooperação. Compreendendo que as políticas universais, que dão contorno aos direitos sociais, se produzem e são ressignificadas na própria reconceitualização do Estado mínimo. Há uma linha tênue na situação brasileira, porém, profundamente decisiva na produção subjetiva e coletiva dos cotidianos dessas pessoas, acerca do papel do próprio Estado como delimitador da demarcação da deficiência e daquilo que se pretende demarcar como expressão da produção dos movimentos sociais.

Nesse sentido, essa linha tem como objetivos específicos compreender:

(i) a constituição das “deficiências” nos discursos das políticas sociais;

(ii) a relação da universalização e da focalização dos direitos sociais nesse campo;

(iii) o processo identitário das pessoas com deficiência aos discursos instituídos;

(iv) a multifacetação da pessoa e suas situações nos diferentes territórios demarcados pelas áreas e suas especialidades – educação, social, mobilidade, lazer, cultura, trabalho;

(v) os movimentos sociais e conselhos de direitos como instâncias de produção, de resistência ou de reiteração dos discursos instituídos.

 

Coordenação: Profª. Drª. Shirley Silva – EDA|FEUSP

Contato: 3Destudosepesquisas@gmail.com

Endereço para acessar cadastro DGP/CNPq: dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/8207174079277568

O Grupo promove encontros mensais abertos a estudantes de cursos de graduação ou pós-graduação sobre temáticas diversas que transversalizam as situações de deficiência.

Parte dos membros do grupo tem participação ativa com o Grupo de Trabalho Estudos Críticos da Deficiência da CLACSCO – www.https://www.clacso.org/grupos-de-trabajo/grupos-de-trabajo-2019-2022/?pag=detalle&refe=3&ficha=1658

Organiza, ainda, uma agenda de atividades abertas à comunidade, que têm o objetivo de ampliar e divulgar as discussões promovidas pelo grupo, mas principalmente de fortalecer o vínculo da pesquisa e extensão por meio de diferentes abordagens e veiculações.

Em 2020 organizou o Colóquio Internacional – Cartografias outras de se pensar as deficiências. Com as participações dos Profs. Victor Alexander Yarza de Los Rios – Universidad de Antioquia (Colombia) e Lelia Schewe – Universidad Nacional de Misiones (Argentina)

Dentre estas atividades, produziu-se o vídecast – ESCREVIVÊNCIAS – Mulheres, deficiências e opressãottps://youtu.be/PfDbqTFNT9g, que compôs a agenda integrada do GT da CLACSO – https://www.clacso.org/agenda-comun-nuestroamericana-actividades-organizadas-con-motivo-del-dia-internacional-de-las-personas-con-discapacidad/

Para conhecer um pouco da produção do Grupo visite as pesquisas de mestrado e doutorados concluídas de:

  • Claudinei Cesar ZAGO. O lugar da formação docente e da escolarização de pessoas com deficiência nos discursos instituídos – sob o véu da distopia. Doutorado (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019. https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-20102020-175959/pt-br.php
  • Cleber Nelson de Oliveira SILVA. Primeira infância e situações de deficiência: elementos para uma análise do (não) direito à educação. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018. https://teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-08052018-105555/pt-br.php
  • Douglas Vitório PAVAN. O espaço como elemento de desigualdade intraescolar para pessoas com deficiência. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019. https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-21102020-154635/pt-br.php
  • Fábio Junio da SILVA SANTOS. Escolarização e currículo: considerações no campo das deficiências. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. https://teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-16102017-111113/pt-br.php
  • Letícia Paloma de Freitas Pereira SILVA. “A melhor escola em que estudei era a que me respeitava”: perspectivas de pessoas com deficiência intelectual acerca de seus processos de escolarização. Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2020. https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-05032021-112058/pt-br.php
  • Rodrigo Hissashi TSUZUKI. Uma análise da compreensão de (des)igualdade e deficiência em documentos normativos: implicações na garantia de direitos. Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2019. https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48137/tde-16022021-112825/pt-br.php
  • Roseane Rabelo de Souza FARIAS. Itinerários da institucionalização da educação especial no estado do Pará: perspectivas a partir da história social. Doutorado (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019. https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-04122019-150504/pt-br.php
  • Virginia Gonçalves de Oliveira MARINO. Educação e pessoas com deficiência – a transitoriedade entre a universalização e a focalização. Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2017. https://teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-16102017-121036/pt-br.php

 

Pesquisa desenvolvida em cooperação com a UFPA/Campus Altamira: Compreender as relações entre táticas e estratégias de aprendizado e permanência vivenciadas no ensino superior por estudantes com deficiência. Pesquisa a ser desenvolvida por pesquisadores da UFPA – Campus Altamira, instituição parceira deste Grupo de Estudos e Pesquisas, coordenada pela Profª. Drª. Roseane Rabelo Souza Farias.

 

O ebook (Re) Conhecendo a USP: contribuições do ensino, da pesquisa e da extensão no campo das deficiências (http://www.livrosabertos.sibi.usp.br/portaldelivrosUSP/catalog/book/145), apresenta pesquisa realizada sob a coordenação da Profª. Drª. Shirley Silva em parceria com o Prof. Dr. Luciano Digiampietri (Escola de Artes, Ciências e Humanidades – USP)

 

O livro – Direitos Sociais, Diversidade e Exclusão: a sensibilidade de quem as vive. SILVA, Shirley; ARELARO, Lisete Regina Gomes (Org) – Campinas, SP: Mercado de Letras, 2018, apresenta em seu conjunto elementos fundamentais para a avaliação de políticas públicas e dá destaque a participação de pessoas com deficiência como sujeitos em processo de avaliação de políticas sociais direcionadas às mesmas.