Comissão de Equidade

Questões Étnico-Raciais

 

CICLO IMAGENS EM DEBATES

O Ciclo se configura como um espaço de reflexão pedagógica, no sentido de que pretende propiciar certo “letramento” das pessoas com relação a convivência com o diferente. Almeja, em síntese, inverter a equação que estabelece que a diferença tem como resultado a intolerância e a desigualdade, para reafirmar que diferenciar é reconhecer as potencialidades do outro, respeitá-lo integralmente e permitir que sua identidade seja manifestada publicamente.

Sessão 1: 14/08/2020 –  Imagens e racismo

Clique aqui para assistir.

Objetivo: refletir sobre os modos pelos quais as imagens e representações relacionadas à pessoa negra e às produções de origem africana são acionadas no contexto ocidental, de modo geral, e no Brasil, especificamente. Embora já evidenciado em muitos trabalhos os processos de silenciamento, apagamento e negativação da presença negra, ainda observamos situações em que peças publicitárias, materiais didáticos, produções artísticas e culturais etc. (re)produzem estereótipos depreciativos com relação a esses sujeitos e seus contextos.imagens e racismo

Juliana dos Santos, artista visual e doutoranda em Artes bolsista Capes pelo (IA-UNESP) Instituto de Artes da Unesp sob orientação do Prof. Dr Agnus Valente. Co-coordenadora do  Núcleo de Estudos e Pesquisas da Afro-América (Nepafro).

Rosane Borges, jornalista, doutora em Ciências da Comunicação, professora colaboradora do Colabor (ECA-USP), pesquisadora na área de comunicação, imaginários, política contemporânea, relações raciais e de gênero, conselheira de honra do Coletivo Reinventando a Educação, integrante do grupo Estética e vanguarda do CTR (ECA-USP), articulista da revista Carta Capital, do blog da Editora Boitempo.

Rafael Domingos Oliveira, historiador e educador. Doutorando em História Social pela Universidade de São Paulo (USP), com bolsa CNPq. Foi professor da rede pública de ensino do Estado de São Paulo. Coordenou o Núcleo de Educação do Museu Afro Brasil e o Núcleo Interdisciplinar de Estudos de Gênero, Raça e Sexualidade da UNIFESP.

Mediação: Rosenilton Silva de Oliveira (FEUSP)

QUESTÕES ÉTNICO-RACIAIS NA FEUSP

Em novembro de 2019, a Comissão de Equidade realizou um conjunto de iniciativas para discutir as questões étnico-raciais na FEUSP.

baoba

 

A obra icônica “Onde estão os/as negros/as” do Coletivo Frente 3 de Fevereiro nos leva a refletir sobre a presença da população negra na esfera pública nacional. Fato é que essas pessoas estão aqui! Sempre estiveram. Entretanto, seus corpos, falas, expressões socioculturais, epistemológicas e religiosas são sistematicamente invisibilizados e/ou depreciados. É graças a agência de milhares de negras e negros que, historicamente, estes sujeitos mais do que resistirem a todas as formas de violência e discriminação têm atuado continuamente na constituição da sociedade brasileira. O mês da Consciência Negra, fruto desse movimento, serve para celebrar as vitórias alcançadas até o momento, expor os desafios ainda presentes e engajar todas as pessoas na luta contra o preconceito e a discriminação racial.

A Faculdade de Educação da USP, por meio da sua Comissão de Equidade, assume o seu lugar na luta antirracista e realiza um conjunto de ações relacionadas às questões étnico-raciais.

A instalação abre com um Baobá (Adansonia) árvore que guarda estreita relação com a cosmologia de vários povos africanos, assume aspectos sacros no contexto das religiões afro-brasileiras e sintetiza a noção de tradição. Enquanto símbolo da ancestralidade africana, nos permite compreender que os passos da população negra vêm de longe, com raízes profundas que sustentam um troco que pode chegar a 10m de diâmetro, porque juntos somos mais fortes, e uma copa com mais de 20m de altura, pois esses mesmos passos nos levam mais longe.

Texto: Rosenilton Silva de Oliveira

Programação

4 a 29/11 Mostra de pesquisadores/as negros/as da Feusp

08/11 – 18h Roda de Capoeira Arte e Ginga, com Mestre Tio João e Mestre Valdenor

11 a 16/11  Como se autodeclara, no quesito raça/cor, a comunidade Feusp?

19 a 23/11 Condições de vida da população negra e da população branca no Brasil

27/11 13h Oficina de produção de redes com Bruna Amaro

Mostra de Pesquisadores/as Negros/as da FEUSP

Reuniu trabalhos de iniciação científica, pós-graduação, pós-doutorado e pesquisas de docentes da FESUP.

Como se autodeclara a comunidade FEUSP?

Apresentação dos levantamentos realizados junto a estudantes de graduação e pós-graduação, trabalhadores/as técnico-administrativos/as, educadoras, trabalhadores/as terceirizados/as e docentes da FEUSP.

Condições de vida no Brasil

Alguns indicadores da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios- PNAD contínua de 2019 foram utilizados para demarcar a desigualdade nas de condições de vida no Brasil, em função do quesito raça-cor.

Roda de Capoeria

Uma roda de capoeira foi realizada no saguão da FEUSP, convidando a todas as pessoas a participarem. Contamos com a presença do grupo Arte e Ginga, Mestre Tio João e Mestre Valdenor.

IMG_6896